Livro: O diário de Anne Frank

Olá tudo bem com vocês? Espero que sim!
A muito tempo ouvia falar sobre Anne Frank mas ficava boiando pois não sabia sobre o que se tratava exatamente, confesso que pensava que era uma história de terror com assombrações e tudo mais hahaha. Não que não seja um história horrorosa só pra constar.

Anne como qualquer adolescente da sua idade sem suas curiosidades sobre sexualidade (menino e menina), tem seus conflitos internos ou rebeldia com a família (principalmente com a mãe), sofre a mudança do corpo da infancia para a puberdade…
E seu sonho é ser escritora e como vemos ela conseguiu apesar dos horrores da Guerra…

156639.jpg

Sem mais delongas…

O livro começa lindo com Anne ganhando seu diário (Que ela o chama de Kitty), entre muitos outros presentes de aniversário. Depois ela fala sobre a festa de aniversário, a escola as suas possíveis amigas e seus admiradores hahaha. Fala também sobre sua casa, sua família e a gata Moortje.

Até ai tudo bem, mas no dia 05 de julho de 1942 sua irmã Margot recebe uma convocação para se apresentar no campo de trabalho forçado na Alemanha, então a família Frank (Anne, Margot, Otto ‘pai’ e Edith ‘mãe’) se mudam para o anexo já no dia seguinte.
O esconderijo fica no prédio onde ficava empresa de  Otto Frank.

Na semana seguinte a Família Van Pels (Peter e os pais)também se muda para o anexo secreto e em novembro chega Dussel (o dentista Fritz Pfefferum) um velho chato e egoísta que divide o quarto com Anne e que sempre faz promessas que nunca irá cumprir.

Os funcionários do escritório do pai de Anne, ajudam escondidos levando comida, roupas e livros para todos, mas eles são muito mais que funcionários eles são verdadeiros amigos.

No anexo secreto nem sempre a convivência é boa pois as mães das famílias Frank e Van Daan  estão quase sempre em pé de guerra (muitas vezes por causa de Anne) por causa de comida e outras coisas, o egoismo de Dussel também gera algumas discussões, mas eles precisam ficar em silêncio durante o dia todo pois ninguém pode imaginar que estão escondidos lá.

No esconderijo apesar do medo de serem descobertos os dias são sempre monótonos, durante o meio da semana comer, estudar, dormir… Mas nos finais de semana eles podem andar livremente, lavar suas roupas…

Também tem os momentos divertidos como os aniversários dos moradores.Anne e Peter começam a se gostar e isso é lindo.

Em 4 de Agosto de 1944 o esconderijo é descoberto  pelos Alemães e todas as pessoas do anexo são levados a campos de concentração onde são maltratados…

E no fim apenas Otto Frank sobrevive.

O diário fica no anexo quando todos são presos e um tempo depois uma das funcionárias (Miep Gies) resgata o diário e o entrega ao pai de Anne.

Anos depois ao Holocausto, Otto Frank publica o livro O diário de Anne Frank.
Em 1960 a casa de Anne se torna um Museu.

Este livro (da foto), grande parte dos recursos obtidos com a venda dele é doada para a UNICEF, afim de ajudar crianças e adolescentes em diversos projetos.

♥Beijos e até o próximo♥

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s